Rua Borges de Figueiredo, 303 – Sala 313 - São Paulo-SP 995089275 11 2062-6798

TOLERÂNCIA NOS CONDOMÍNIOS

Gostou? compartilhe!

TOLERÂNCIA NOS CONDOMÍNIOS

Em 2014, a imprensa trouxe uma notícia de crime que chocou o país. Um homicídio, que se deu em um condomínio residencial no bairro da Casa Verde, Zona Norte da Capital, onde um zelador foi morto e esquartejado por moradores de um prédio e foi veiculado da seguinte forma: Polícia prende moradores suspeitos de matar zelador de prédio em SP. …A família do zelador desconfiava que o publicitário e sua mulher estavam envolvidos no seu desaparecimento. A vítima, que trabalhava no prédio havia cinco anos, teria se desentendido com o casal. Fonte: Site G1 de 02/06/2014.

Tal tragédia demonstrou que morar com outras pessoas, em um mesmo espaço, não é uma tarefa das mais fáceis e, portanto, necessita saber respeitar todos, saber que seu direito termina quando começa o do outro e que todos devem seguir as regras determinadas.

Resta uma dúvida. O que os gestores dos condomínios podem fazer a fim de minimizar ou mesmo evitar tais distorções de comportamento? Não é uma tarefa simples e nem se tem uma receita de bolo, porém, os moradores que se sentirem prejudicados, por atitudes que julgarem erradas dos funcionários, podem entrar em contato com o síndico ou administração do condomínio informando a situação, sempre, invocando as Normas Internas e cobrando a conduta correta dos colaboradores.

Os condôminos não devem adotar medidas isoladas para fazerem alguma observação ou corrigirem possíveis falhas dos funcionários, deve-se comunicar sempre a administração do condomínio para ajustar os comportamentos. Cabe lembrar que se está lidando com Seres Humanos, passíveis de erros e de atitudes que, muitas vezes, não agrada a maneira individual de se pensar. Não sendo possível, pode-se utilizar das sanções previstas na CLT (Consolidação de Leis Trabalhistas) tais como advertência, suspensão e até mesmo a demissão, com ou sem justa causa.

O que se torna inconcebível é ter-se postura violenta, intolerante e vingativa contra quem quer que seja, principalmente contra indivíduos que prestam serviços para a coletividade condominial visto que são pessoas que necessitam de apoio, treinamento, dignidade e auxílio de todos no exercício de suas funções.

Portanto, a principal conclusão deste triste episódio é que, os moradores de condomínios, devem buscar muito a compreensão e pregar a tolerância entre todos, vizinhos ou colaboradores, uma vez que morar em condomínio demanda saber conviver em comunidade e de forma harmoniosa, apesar dos interesses diversos.

 

(*) JOSÉ ELIAS DE GODOY é especialista de Segurança em Condomínios e autor dos livros “Manual de Segurança em Condomínios’’ e “Técnicas de Segurança em Condomínios”.Fale com ele pelo e-mail elias@suat.com.br 

 



Gostou? compartilhe!

Whatsapp Suat Whatsapp Suat